quarta-feira, 20 de outubro de 2010

algumas coisas já nascem prontas



Tava tão escuro alí.
Onde sua voz pingou
ou talvez um brilho apagou,
sei não.
Encontrar o peso que brilha
pode ser pesado demais.
Do sol fez-se mormaço,
horizonte,
conheço esses tons.
Corri fechar a janela,
mas o rompante bateu a porta
com o devido desprezo.
Atento.
Recorri ao caderninho,
algumas coisas já nascem prontas.

Um comentário:

  1. Amei poeta! realmente algumas coisas já são, não mais precisam!

    ResponderExcluir